Dúvidas Frequentes
Quando consultar um neurocirurgião se você tem dor na coluna?

As dores na coluna são extremamente comuns e embora a maioria das pessoas venha a passar por essa experiência a consulta ao neurocirurgião deve ser feita quando:

  • O paciente já estiver com dor há algum tempo, tendo sido submetido a tratamento medicamentoso e/ou fisioterapia (feitos de forma correta e regular) sem a resposta desejada ou com piora progressiva.
  • Apresentar dor na coluna cervical (pescoço ou nuca), que irradia-se para os braços ou mãos, acompanhados de alteração de sensibilidade (tipo queimação ou formigamento) ou mesmo perda de força  ( em geral maior de um lado, assim como a dor)( Ex: fraqueza ao pegar objetos, escrever, levantar peso )
  • Apresentar dor na coluna lombar ( parte baixa das costas) que irradia-se para as pernas ou pés, acompanhados de alteração  de sensibilidade  ( tipo queimação ou formigamento) ou perda de força nas pernas ou pés,que pode ser progressiva ou intermitente. ( Ex: tropeça com frequencia ou arrasta o pé)
  • Apresentar subitamente perda de força do pescoço para baixo ou fraqueza, que pode se acompanhar de sensação de choque pelo corpo.
  • Houver perda de força nas pernas, associada a alteracão de sensibilidade na região entre as pernas e perda de controle para urinar e evacuar.
  • Acontecer dor nas costas associada a febre ( medida com termômetro) que não tem uma causa definida.
O que é Neurocirurgia Endovascular?

É uma subespecialidade da Neurocirurgia que atua no diagnóstico e na terapêutica de doenças neurovasculares , lançando mão da Neurorradiologia Intervencionista para estudar e tratar doenças como Aneurismas Cerebrais, Malformações Vasculares, Dissecções Arteriais, Doença Aterosclerótica das Carótidas, de forma minimamente invasiva, com modernas técnicas e aparelhos de imagem que permitem o estudo seletivo de artérias e veias cerebrais (através de cateterismo) para tratá-las sem a necessidade de cirurgia para abertura do crãnio.

Através do uso de micromolas (coils) ou do implante de "Stent" é possível hoje ,tratar doenças graves ou de alto risco dentro do cérebro, como o aneurisma cerebral ou estreitamentos arteriais, sem cicatriz , corte de cabelo ou marcas no crânio, com a mesma segurança e com menor tempo de internação .

Além do Neurocirurgião, os Radiologistas e Neurologistas com a devida especialização, podem atuar na área da Neurorradiologia Intervencionista.

Há limite de idade para se submeter a uma cirurgia?

A princípio não, mas nos extremos da vida ( crianças e idosos) os riscos são maiores ao se submeter a qualquer tratamento cirúrgico.

Contudo o mais importante é ter seu histórico médico atualizado com todas as informações disponíveis ao seu cirurgião, ter suas doenças controladas como diabetes, pressão alta. Informar as medicacões de uso regular, informar se faz uso de bebida alcoólica,  se é tabagista ou se faz uso de drogas ilícitas.

As cirurgias neurológicas são atualmente bastante seguras em todas as idades, mas como qualquer cirurgia, há riscos inerentes a cada procedimento, que devem ser perguntados ao médico em detalhes para que haja a confiança necessária ao se optar por um tratamento neurocirúrgico.

 

 

Que cuidados devo ter após passar por uma cirurgia?

Normalmente o cirurgião passa ao paciente as informações do que é ou não permitido fazer após cada cirurgia.

Contudo, alguns cuidados básicos podem ser seguidos em todos os casos:

  1. Evitar esforços ou atividades intensas ( limpar a casa, levantar peso, fazer viagens longas).
  2. Evitar ficar somente deitado ou sentado ( repouso não significa ficar imóvel, esta atitude pode trazer consequências ruins, como dores posturais, feridas pelo posicionamento ou mesmo trombose).
  3. Iniciar atividades leves e o mais precocemente possível a reabilitação (fisioterapia).
  4. Manter a higiene rigorosa da ferida operatória ( água corrente e sabão neutro são suficientes) e cobrí-la com curativo (gaze e micropore).
  5. Caso ocorram saída de secreção, febre (aferida com termômetro) ou abertura de pontos,  não se assuste, continue mantendo a higiene e informe o médico o mais brevemente possível.
  6. Coletes e colares cervicais devem ser usados apenas sob orientação e somente o tempo recomendado.
  7. Siga a receita médica para saber quais remédios tomar e  em caso de efeitos colaterais, manutenção dos sintomas ou piora, informe o seu médico.
  8. Pacientes operados da coluna podem fazer uso de apoio, bengala ou andador, no início da recuperação.
  9. Programe o retorno para a retirada de pontos.
  10. Siga sempre a orientação médica e fisioterápica e lembre-se que uma grande parte do resultado cirúrgico está na qualidade do período pós-operatório, reabilitação adequada e mudança de hábitos ruins.

 

O que levar para a internação cirúrgica?

Roupas leves e itens básicos como objetos pessoais são fundamentais, lembrando que é apenas um período breve de estadia no hospital.

Entretanto, itens que não podem ser esquecidos são aqueles relacionados ao ato cirúrgico, dentre eles estão:

  1. Guia de autorização de cirurgia.
  2. Exames laboratoriais pré operatórios.
  3. Exames de Imagem. (Ressonância Magnética/ Tomografia/ Raio x)***muito importantes, não esquecer.
  4. Avaliação Cardiológica do Risco Cirúrgico.
  5. Avaliação Pré anestésica.
  6. Termo de Consentimento Informado. (lido e assinado, se de acordo)
  7. Colete ou Colar cervical.
  • Cirurgias particulares devem ter seus honorários profissionais (médicos e anestesiologista) e hospitalares previamente discutidos antes da internação.***(atenção)
  • Mudanças de acomodações devem ser previamente comunicadas, pois podem ocorrer acréscimos aos custos de honorários médicos além da diferença de valores em relação aos quartos.***(atenção)

 

Quem deve operar doenças da coluna, Neurocirurgião ou Ortopedista?

Ambas as especialidades podem atuar como cirurgiões de doenças da coluna, basta que para isso tenham o treinamento adequado, seja durante sua especialização ou sua formação complementar. O importante é que o médico tenha conhecimento e esteja habituado a fazer este tipo de cirurgia e a despeito de sua especialização estude e trate a coluna observando toda sua complexidade, integrando a visão osteoarticular à neurológica. 

Entretanto, algumas doenças que acometem a medula espinhal como os tumores, medula presa, mielomeningocele e outras,  são tratadas exclusivamente por neurocirurgiões.

Quando consultar um neurocirurgião se você tem dor de cabeça?

As dores de cabeça geralmente são facilmente diagnosticadas e tratadas pelos neurologistas clínicos, mas é importante consultar um neurocirugião quando:

  • A dor tem início súbito, forte intensidade, não melhora com analgésicos, ou vem acompanhada de desmaio, crise convulsiva, confusão.
  • Ocorre no meio da noite ou pela sua intensidade pode acordar a pessoa.
  • Acompanha-se de perda de força na metade do corpo, em um membro ou "entorta a boca".
  • Apresenta mudança de padrão, como aumento da frequência ou intensidade, ou vem acompanhada de outros sintomas (perda de força / alteração da fala / vômitos / confusão).
  • Tem história de trauma de crânio recente, com perda de de consciência ou acidente de alto impacto.
  • Tem história de quedas frequentes com ou sem trauma de crânio confirmado ou faz uso regular de anticoagulante ou antiagregante (Ex: AAS, Somalgin, Xarelto, Marevan)
  • Tem mais de 55 anos. 
  • Faz uso excessivo de bebida alcoólica. 
  • Em crianças, ocorre irritabilidade, perda de apetite ou apetite exagerado, perda de força, dor diária desde a instalação.
  • Em bebês, ocorre irritabilidade, aumento do tamanho da cabeça (perímetro cefálico) em geral medido durante o acompanhamento com o pediatra.
O que levar na Consulta Médica?

A consulta médica é o momento que um paciente conhece ou visita o seu médico e passa informações acerca da sua condição, ao mesmo tempo que é questionado , examinado e tem hipóteses diagnósticas levantadas pelo profissional consultado, que pode complementar , ou não, seu atendimento com exames. 

Desta forma, é importante que o paciente tenha toda a informação disponível acerca da sua patologia, isso inclui o histórico da doença ( se o paciente não tiver condições de dar informação, deve estar acompanhado por alguém apto a passá-las), relação de medicamentos ( nomes, doses, horários e histórico de alergias ou reações), bem como exames laboratoriais (pelo menos aqueles feitos nos últimos 06 meses) e exames de imagem novos e antigos ( Ressonância Magnética, Tomografia, Raio x, Ultrassom).

É importante também trazer o "Encaminhamento", caso tenha sido indicado por outro profissional, que em geral, vêm com informações técnicas a respeito do motivo da consulta.

Carteirinhas do plano de saúde e/ou guia de consulta liberada , ou formas de pagamento (dinheiro ou cheque) em caso de atendimento particular. 

Quais são os riscos de uma neurocirurgia?

A Neurocirurgia moderna combina um grande volume de conhecimento científico e tecnologia de ponta para tratar da melhor forma o Sistema Nervoso ( Encéfalo, Medula e Nervos). Esse conjunto trouxe para a atualidade uma Neurocirurgia técnica, segura e altamente precisa.

Entretanto, cirurgias são procedimentos invasivos, que estão sujeitos a complicações e dificuldades que podem ser maiores ou menores , dependendo da área ou órgão tratado. Na Neurocirurgia isso não é diferente , por isso a importância de conhecer bem o seu médico, seu trabalho  e estabelecendo uma relação de confiança com ele , tirar todas as dúvidas acerca do tratamento a ser submetido, sendo um direito do paciente e dever do médico compartilharem essas informações.

Neurocirurgia e Neurologia são a mesma coisa?

Neurocirurgia é a especialidade médica dedicada ao estudo e tratamento das patologias do Sistema Nervoso Central (Encéfalo e Medula Espinhal) e Periférico (Nervos) que necessitem de intervenção cirúrgica ou procedimentos invasivos. A formação tem duração de cinco anos com um ano dedicado a Neurologia Clínica . Em geral, são doenças tratadas pelo Neurocirurgião : Tumores cerebrais e da medula, Doenças da coluna (Hérnia de disco, Estreitamento do canal vertebral, Fraturas, Luxações e Tumores Vertebrais), Aneurismas Cerebrais, Malformaçoes Arteriovenosas, Hidrocefalia, Neuropatias Compressivas e Tumores de Nervos.

A Neurologia é a especialidade médica dedicada ao estudo e tratamento das condições clínicas que acometem o Sistema Nervoso Central ou Periférico. Sua formação tem duração de três anos e não contempla atividades cirúrgicas. Em geral, são doenças tratadas pelo Neurologista Clínico: Doença de Parkinson, Demências ( Ex:Doença de Alzheimer), Esclerose Múltipla, Neuropatias periféricas (Ex: Diabética), Transtornos do Movimento (Ex: Tremor , Coréia, Balismo ), Espasticidade e Cefaléias primárias (Ex: Enxaqueca)

O conteúdo deste site é protegido e não pode ser replicado sem autorização.